terça-feira, 18 de julho de 2017

Don Capone - "Corpo Fechado" (Resenha)

Na última segunda (17) os orleanenses da Don Capone divulgaram o novo disco intitulado “Corpo Fechado”. O mesmo foi gravado e mixado por Javerson “Kiko” Exterckotter em parceria com os estúdios NK e Metralha e para o desenvolvimento da capa, obteve a elaboração de Leandro Benincá.



O álbum possui cinco faixas, “Ressurgir”, “Não Vou Me Entregar”, “Forasteiro”, “Epifania” e “Corpo Fechado” e possui diferentes influências referentes aos outros já lançados. Com a modificação na formação, agora com Robson Brigido nas Guitarras e Leandro Silveira nas baquetas, o grupo pode dar uma nova cara ao som tornando-o mais encorpado e consistente.

A primeira canção “Ressurgir”, realmente personifica uma nova fase da banda, as referências de Stoner apenas concentram mais a sonoridade, os riffs alternam durante a canção e a mesma expõe a nova peculiaridade do grupo, a letra aborda confusões essenciais de maneira a abrange-las em situações fatídicas do cotidiano.

A faixa “Não Vou Me entregar” foi o último videoclipe dos músicos e estabilizou um estilo cru agregando riffs potenciais. A canção remete a questões comportamentais mesclada com a rispidez dos tons da composição.

Com 04:20 min de oscilação da sonoridade, “Forasteiro” surge com um peso incomum. Os vocais fortes e densos de Guilherme se intensificam no refrão e a música finaliza com um solo surreal. Em relação as letras, a abordagem é evidenciada com elementos do faroeste metaforizando o fato da pessoa não se identificar mais com seu local originário devido a seus constantes pandemônios.

A quarta canção é denominada “Epifania”, e manifesta questões existenciais sinestésicas que exibem lampejos costumeiros de repetição com atitudes cotidianas como nos versos, “Continuar esmurrando o muro é burrice”, “Não adianta querer arranhar a superfície”. O instrumental se mostra viçoso, sólido e célere desde o início da faixa.

Encerrando o disco, a música “Corpo Fechado”, faixa esta que foi transformada em clipe, lançado em 2016 e expôs a mudança peculiar da banda. A canção possui riffs bem trabalhados e coesos dando o tom experimental mesclado a celeridade. Já a composição explana conflitos internos e intrínsecos que bloqueiam e impedem, caracterizando assim o “corpo fechado”.

Vale ressaltar que no próximo sábado (22), o grupo estará fazendo o show de lançamento do álbum. Na mesma noite, dividirão o palco, as bandas Balthazar de Criciúma e Elton Jones de Araranguá.




Abaixo estão as plataformas virtuais para a audição de “Corpo Fechado”:
YouTube: https://www.youtube.com/user/doncaponerock 

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário