quarta-feira, 5 de julho de 2017

Infected Sphere

Brutalidade originária da Serra Gaúcha



No ano de 2016, na cidade de Caxias do Sul – RS, os experientes músicos Luís C. Tomazini (Ex Rotten Penetration e Sangria), Daniel Machado ( Ex Mindstab e Melancholic Art) e Felipe Rech ( Bomb Shelves e Syphilitic Abotion) colocaram em prática um projeto munidos pelo ideal mútuo do Metal Extremo. 

Desde o início da Infected Sphere, os integrantes visavam o crescimento musical através de riffs técnicos, uma sonoridade profissional, mas ao mesmo tempo visceral que fosse forte característica ao Brutal Death Metal que tocam, todavia, com uma forte referência de Splatter.

Em relação às influências musicais, o grupo permeia entre bandas renomadas como Dying Fetus, Suffocation, Cannibal Corpse, Krisiun, Sarcofago, Deicide, Beheaded, Disgorge, Gorgasm, Flesh Grinder, Carcass até Nervochaos.

A cognominação escolhida, Infected Sphere se deu perante ao ideal do contexto lírico, ou seja, representa uma dimensão infectada pelo caos. Tal peculiaridade é explícita nas letras e instrumental de cada canção.

Em fevereiro desse ano, a banda divulgou o primeiro single denominado “Bizarre Mutilation”. A música foi produzida de maneira independente e personifica a potencialidade e celeridade em cada riff.



Atualmente os músicos estão no desenvolvimento da agenda e da conclusão do primeiro full length que não possui data de lançamento. Além disso, os mesmos encontram-se na elaboração de um lyric vídeo e em breve do primeiro videoclipe, previsto a ser divulgado o ano que vem.

As composições abordadas pelo grupo ressaltam a desordem e o caos, e o que estes causam à nossa sociedade. As temáticas aproximam-se de forma patológica e infernal, caracterizando assim toda a revolta exposta pelos integrantes.

A banda já perambulou por grandes festivais e diferentes cidades. Entre os que mais marcaram, vale ressaltar DeathKult WarFestival em Guaramirim – SC, Storm Festival em São Leopoldo – RS, Damned Festival em Teutônia – RS e o Restos da Carne Metal Fest em Caxias do Sul – RS.

Agenda:
A Infected Sphere está confirmada a participar de festivais em Porto Alegre – RS, São Leopoldo – RS, Estância Velha – RS, Teutônia – RS, Campo Bom – RS, Esteio – RS, Caxias do Sul – RS, Gravataí – RS, Buenos Aires – ARG, Rosário – ARG e Santa Fé – ARG. Para 2018, os músicos preveem a agenda para RS, SC, PR, MG, SP e GO, além de uma turnê passando por México, Paraguai e Chile.

Formação Atual:
Luís C. Tomasini (Guitarra)
Charles Magnabosco (Vocal)
Daniel Machado (Bateria)
Dener Oliveira (Baixo)

A banda tem um recado:
“Gostaria de agradecer imensamente a todos que têm acompanhado e apoiado o trabalho da INFECTED SPHERE, muito obrigado mesmo, vocês são fodas!!! Esse reconhecimento da parte de vocês sempre nos motiva e nos impulsiona a realizar um trampo cada vez melhor e ainda mais brutal!!!

KEEP SPREADING THE ROTTENNESS!!! \m/ \m/ \m/”

Plataformas Virtuais


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário