segunda-feira, 17 de julho de 2017

Subsolo Rock Festival (Resenha)

No último sábado aconteceu a primeira edição do O Subsolo Rock Festival. O evento ocorreu no Congas Pub em Tubarão e foi idealizado e organizado pelo fundador da mídia independente O Subsolo, Maykon Kjellin.



O festival contou com a participação de oito bandas, South Park, Vetor Unitário, Decolle, Turn Off, Doctor Jimmy, Dust Commando, Alkanza Thrash Metal e Blood Eyes além disso, o mesmo contou com opções gastronômicas rentáveis, bebidas baratas e bancas de camisas e cds.

O Congas obtém um espaço amplo e se destaca principalmente por sua decoração, já que possui em seu interior quadros e desenhos nas paredes dando um tom mais alternativo e peculiar ao âmbito.

A primeira banda a tocar seria a Decolle, porém devido a alguns imprevistos, o grupo South Park de Içara se apresentou expondo seu Punk Rock/HC depois de um hiato. Contudo, perante a um engarrafamento na Serra do Rio do Rastro em Lauro Müller fomos impossibilitados de acompanharmos a apresentação dos içarenses.



Advinda de Tubarão, a Vetor Unitário trouxe o seu característico Hardcore de protesto. Canções como “Fardas”, “Nova Um”, “Impulso”, “Produção de Série” e “Remissão da Culpa” foram as autorais divulgadas no setlist. Michel e companhia destruíram e fizeram Tubarão tremer com suas canções rápidas e ideológicas. Cabe aqui outro detalhe, a participação de Russo (A Hora Hard) no backing vocal da canção cover, “Zero E Um” do Dead Fish.



Enfim como terceira atração, subiu aos palcos a Decolle de Orleans. Recentemente o baterista André foi pai e nas bateras quem ingressou para esse show foi Maykon Kjellin (Doctor Jimmy e O Subsolo). A exibição dos orleanenses ocorreu de maneira improvisada com os novos integrantes, o qual saíram-se muito bem assim como o vocal de Henrique. Claro que as autorais não faltaram, destaque para “Utopia Reversa” e “Travessia Urbana”, e alguns cover, inclusive da música "Será" com a atuação especial de Karlus Valga (CreedOut).



A Turn Off de Criciúma – SC mostrou todo o potencial do Hardcore Melódico, já bem conhecido pelo público da região sul de SC. Com a nova formação, agora incluindo Ismael Pedroso nas guitarras e Lucas Correa no baixo, os músicos nos expuseram clássicos como “Encantada”, “Chuva”, “Cada Um Por Sí” e “Razão” que frequentemente são pedidas nos shows, além do novo trabalho “Opressor de Ideias”. 



Originária de Imbituba – SC, a Doctor Jimmy inflamou a galera com seu Rock n Roll. Durante a apresentação exibiram alguns covers e canções autorais como “Não Tenho Pressa” lançada em 2016 e “Homens Fardados” carro chefe da banda que aborda o abuso de autoridade como temática. Os músicos mostraram uma celeridade e rapidez misturando elementos de Hard Rock e Punk.



Apresentada como headliner, a banda Dust Commando de Stoner Metal oriunda de Taquari – RS foi a sexta a se apresentar. O show dos músicos foi sensacional, técnico e simplesmente absurdo, com o repertorio imenso de treze músicas autorais, destacando-se as poderosas “Nero”, “This Is Passion”, “She Is a Saint” inclusas no álbum “Chaos Live In Fur”, além das recentes “P.O.T.U.S” e “No Grudge” do novo álbum “Between The Chaos And Grace” o qual fomos congratulados com uma cópia. Literalmente desmoronaram o Congas com o som evidenciado.



A brutalidade tomou conta de tudo, quando a Alkanza Thrash Metal começou o espetáculo. De forma frenética e catastrófica os lagunenses expuseram seus petardos sonoros, clássicos como “Residente do Caos”, “Foda-se o Sistema” e “Brasil” ingressaram nos tímpanos dos presentes no evento. Recentemente a banda divulgou o segundo material, “O Céu Da Boca do Inferno” onde exibiram “Em Coma”, “Com Força”, “Sorria” entre outras contidas no mesmo.



Para encerrar, o grandioso evento, a Blood Eyes de Lages – SC ingressou ao palco no horário previsto das 23:30. Durante toda a apresentação, os músicos tocaram apenas sons autorais como as conhecidas “Olhos de Sangue”, "Minha História" e “Seres da Mente” inclusas na primeira demo homônima e canções do segundo EP “Vol II”. O show inteiro foi caracterizado por riffs potenciais com letras de Metal compostas em português.



Vale ressaltar que o festival contou a presença ilustre de cinco mídias independentes sendo representadas por mim Guigo Romagna (Urussanga Rock Music), Daniel Russo Teixeira Jerônimo (A Hora Hard), Letícia Piazza (Cultura em Peso) e Luiz Harley Caires (Underground Extremo e Esporro Sonoro) além de contar com as escritoras Jordana Aguiar e Thabata Solazzo ambas da mídia organizadora do festival, O Subsolo. As fotografias e vídeos ficaram por conta de Ananda Silveira, João de Bem e Karlus Valga. Essas pessoas representam, valorizam e ajudam a cada vez mais evoluir o cenário Underground. Por isso é de extrema importância reconhecer o trabalho desses pilares da divulgação.


O público presente pode conferir um evento com uma organização surreal e receptiva, qualidade dos grupos apresentados e uma mescla de vertentes do Rock/Metal.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário